Google rompe parceira com Huawei

O presidente americano Donald Trump assinou um decreto onde determina que empresas Chinesas só comprem produtos dos Estados Unidos mediante uma autorização do governo. Nesse decreto, consta uma espécie de “lista negra” que barra qualquer empresa da China de realizar comércio com os EUA, sob alegação de “risco a segurança nacional”. Porem muitos suspeitam que essa decisão na verdade tenha a ver com a tentativa do presidente de garantir que as empresas americanas não sejam passadas para trás por empresas chinesas, e com isso restringir o máximo possível a entrada de produtos do país asiático nos Estados Unidos.

Já tem algum tempo que o governo norte americano vem acusando a empresa Huawei de espionagem. Em 2018 o foco foi a empresa ZTE, que foi banida do país, por práticas comerciais com países inimigos dos Estados Unidos, agora parece que o governo americano quer tirar a Huawei do mercado, justo ela que irá instalar as redes 5G no pais e que contribui e muito para as melhorias no Android.

Por causa do decreto a Google anunciou estar limitando os serviços prestados a Huawei em seus smartphones, dando a ela apenas acesso ao software já embarcado nos aparelhos existentes, incluindo atualizações de aplicativos e atualizações de segurança.

Para quem comprou um smartphone Huawei pode ficar por hora tranquilo, pois a empresa de Montain View disse que as atualizações de segurança, Chrome, Gmail e YouTube continuarão funcionando normalmente. Porem as próximas versões do Android eles não recebem.

A Huawei assim como mais empresas chinesas já tem meio que seu Android próprio, visto que seus smartphones usam uma interface bem modificada do mesmo, afinal o Android tem seu código aberto e público, e os chineses já usam produtos como comunicadores que são sucesso por lá como We chat ou Line que fazem uso de rede própria e desenvolvimento local. O executivo Richard Yu disse em entrevista ao jornal alemão Die Welt: “estamos fazendo nosso próprio sistema operacional. Se não pudermos mais usar esses sistemas, estaremos preparados. Esse é o nosso plano B. Mas é claro que preferimos trabalhar com os ecossistemas do Google e da Microsoft”.

Outro problema que empresa irá enfrentar além do Google é que a Intel, Qualcomm, Broadcom e Xilinx disseram a seus funcionários que não fornecerão processadores e chips à Huawei até segunda ordem.

Há muito para acontecer neste caso ainda, fico na torcida para ser algo a ser desfeito.

Rafael Mota

*Tech/creator do Inteligência Móvel (IM) * Nerd/geek (Pete Mineiro ⛏ da Cavalaria Geek). * [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.