Campus Party 2019 – CPBR12

Acabou mais uma Campus Party a 12ª edição da Campus Party no Brasil ou será que devo dizer #CPBR12, este ano realizada pela primeira vez em um lugar bem diferente no Expo Center Norte, para mim um pouco menor que todas as edições que cobri.

Simuladores da área Open Campus
Simuladores da área Open Campus

Para mim fez muita diferença foi a qualidade da área das barracas, mais fresca que as demais edições e o shopping próximo que facilitava e muito a vida dos compusemos que não tiveram que gastar dinheiro com o Uber esse ano para comprar comida.

Área das barracas

A 12ª edição da Campus Party contou com 900 palestrantes, oito palcos, várias startups e duas Academias, uma Gamers e outra Creators ou para mim Makers esses três últimos na área Open Campus, uma área que é aberta ao público e não tem custo. Como eu digo Campus Party não é só conhecimento, mas networking, muito networking realizado nesses dias de evento. Até porque não é só de palestras que a campus é feita, as vezes um post no twitter pedindo algo pode ser um networking e descobrindo grandes amizades.

Por outro lado para mim foi a edição mais sustentável, graças a uma campanha criada pela Campus Party, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), culminou na arrecadação de mais de 20 toneladas de resíduos eletrônicos, como monitores, CPUs, impressoras, teclados, aparelhos celulares e de ar condicionado, caixas de som, notebooks e outros acessórios de informática.

A Ford uma das patrocinadoras também estava do lado open onde apresentava seu projeto de realidade virtual para manutenção e treinamento de seus mecânicos, além de mostrar a nova EcoEsporte e o pneu que garante rodar com ele furado. Inclusive a montadora foi alfinetada pelo israelense Uri Levine, criador do Waze, onde ele disse que as montadoras continuarem vendendo carros e não serviço de milhagem e transporte elas vão quebrar.

Essa edição para mim se destacou pela quantidade de mulheres palestrantes como Poppy Crum, que é chefe da Dolby Laboratories e professora adjunta da Universidade de Stanford falou sobre como novas tecnologias podem aproveitar a fisiologia humana para aprimorar experiências de reconhecimentos faciais, e no que isso pode ajudar ou prejudicar a nossa convivência como seres humanos.

Outra atração feminina foi a química Joana D’Arc Felix, uma das pesquisadoras brasileiras mais premiadas no mundo que inclusive foi retratada por Mauricio de Souza nas suas personagens Donas da Rua

Palco Academy bem cheio !

Quem já conhece a CPBR conhece o famoso “oooooooooôh”! presente em todas as edições da Campus Party. Porem esse ano particularmente achei uma edição bem diferente, sem as famosas caras conhecidas ou melhor as famosas amizades da CPBR, mesmo na área de imprensa muitas caras novas, mesmo durante as grandes palestras.

Edição pareceu mais vazia que as anteriores.
Edição pareceu mais vazia que as anteriores.

Como todo ano acontece na Campus Party, foram diversas palestras, atividades, games e workshops acontecendo ao mesmo tempo e infelizmente não consigo acompanhar tudo, pois é humanamente impossível pois tem palestras até as 3h da manhã. Todo ano vaza som, sim você escuta uma palestra na outra, esse ano teve isso! Até teve, mas para mim foi muito melhor. Por outro lado achei uma Campus Party mais vazia, mesmo com todos os incentivos, parece que os patrocinadores não estão tão ativos como já foi!

Esse ano tivemos um espaço jobs, na área open, um espaço que ofereceu ao público palestras e outras atividades relacionadas à formação profissional, além da possibilidade de participar de processos seletivos que sim, serão contratações. Uma novidade é também algo que achei bem interessante, ou seja, para quem está ingressando no mercado de trabalho além dos conhecimentos alguns já saíram empregados.

E também como em outras edições teve muitos hacktons, sempre com o objetivo de desenvolver soluções em busca de melhorias para sociedade

Imagem de Dimitri Leone no Grupo do Facebook da Campus Party

E como todos os anos temos problemas, nem tudo são flores, teve como sempre algumas falhas como por pequenos furtos, todo ano tem, teve problema em localizar o ônibus gratuito que leva os campineiros ao metro e volta – que nesse ano estava muito longe e faltou sinalização, mas esse ano pareceu muito mais agressivo. Eu não estava mais por lá, mas após a cerimônia de encerramento, alguns campuseiros raclamaram de serem acordados as 3h da manhã e retirados de suas barracas antes da hora.

Bom como eu também falo Campus Party é um evento muito grande para se descrever, é algo que literalmente se vive! Mesmo com todos os problemas Repito isso todo ano Campus Party se vive.


Rafael Mota

*Tech/creator do Inteligência Móvel (IM) * Nerd/geek (Pete Mineiro ⛏ da Cavalaria Geek). * [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Chinese (Traditional)EnglishJapanesePortugueseSpanish