YouTube passará a exibir videos, mesmo quando estiver offline

Notícia publicada originalmente no MeioBit, por Ronaldo Gogoni.

Ninguém gosta quando o YouTube fica renderizando e demora para carregar os vídeos. Se isso já é um tormento no desktop imagine no mundo mobile, onde os usuários sofrem com a qualidade de conexão. Claro que isso não se aplica ao Brasil: o que temos nem pode ser classificado como “rede móvel”.

youtube-buffering

Só que o YouTube vai mudar essa situação: em um anúncio através do blog YouTube Creators, a equipe do serviço anunciou que em breve permitirá que os donos de dispositivos mobile possam armazenar os vídeos que desejam assistir por um curto período de tempo (que ela não detalhou mas especulam 48 horas. Eu acho muito tempo). A novidade será disponibilizada junto com outras em novembro.

Ainda que possa parecer estranho, o YouTube não odeia quem baixa seus vídeos, independente de qual ferramenta se use. A bronca do Google é com apps que bloqueiem ads, a maior fonte de renda de Mountain View desde sempre. A ferramenta oficial vai permitir a execução dos vídeos de forma offline mas as propagandas ainda estarão lá, firmes e fortes.

Este é um dos principais motivos da briga entre Google e Microsoft no que diz respeitoao app para Windows Phone: a empresa faz exigências que não podem ser cumpridas (como querer que o app seja feito em HTML5, sendo que as versões de Android e iOS também não o são), o que inviabiliza um trabalho em conjunto. É por isso que o app desenvolvido pela própria Microsoft foi barrado e o MetroTube não: enquanto o segundo permite o download dos vídeos, o primeiro permitia o download e bloqueava as propagandas, o que para o Google é feio, muito feio.

Voltando à aplicação prática do recurso, pessoas que precisam fazer viagens extensas de carro (não sendo o motorista, tá tudo certo) ou avião poderão organizar um pequena biblioteca de vídeos e se divertir sem se preocupar em pagar valores astronômicos de dados. E o Google poderá ver um boost nas visualizações do site, onde 25% dos cerca de 1 bilhão de acessos diários são via mobile.

Fonte: AllThingsD.

Fernando Vieira

Engenheiro de Computação, atuando no desenvolvimento de software a 16 anos, blogueiro iniciante e geek nas horas vagas. Atualmente possui um celular Galaxy Note 3. Gamer nas horas vagas, é fã da série Dragon Age, Mass Effect, The Elder's Scrolls.