Niduu usa gamificação para capacitar funcionários

Juntar doses de conhecimento, gamificação e inteligência de  dados tem sido a aposta da Niduu, um aplicativo acessível para desenvolver os colaboradores das empresas, por meio de treinamento no celular. Fundada em  2017, a startup já capacitou mais de 160 mil colaboradores, registrando uma taxa de engajamento de mais de 80%.

Segundo a Niduu, o engajamento é resultado da taxa de conclusão de cursos (treinamentos) e não apenas o acesso ou adesão como outras plataformas. Número que surpreende, pois a taxa de mercado de engajamento (conclusão dos treinamentos) é em torno de 20% nas plataformas tradicionais de e-learning.

Com mais de 17 milhões de lições feitas, 2,2 milhões de horas de treinamento e mais de 300 empresas treinadas, a solução em treinamentos gamificados atinge colaboradores com todos os níveis de formação, uma vez que alcança os funcionários a qualquer hora e lugar, de maneira prática e rápida, por utilizar uma plataforma desenvolvida para o mobile, pensando, inclusive, no público que tem um celular com baixa capacidade de armazenamento ou memória e uma internet limitada.

A plataforma alcança públicos do Varejo, Indústria e Serviços, que estão distribuídos em várias unidades, de forma fácil e rápida. “Surgimos para sanar uma necessidade real do mercado que as plataformas tradicionais de treinamento não resolviam. Criamos um aplicativo acessível que chega a todos os níveis das empresas para melhorar os seus resultados”, afirma Júnior Mateus, cofundador da Niduu.

Com clientes em 19 estados brasileiros, a startup, que registrou um boom em 2019, crescendo cinco vezes no faturamento em relação ao ano anterior, fechou 2020 próximo dos R$ 2 milhões. Entre os clientes estão marcas como Suvinil, Hyundai, KPMG, Grupo Mateus, P&G e Wurth. 

Em 2019, o mercado de E-Learning ultrapassou os $200 bilhões no mundo e é estimado uma taxa de crescimento anual composta de mais de 8% até 2026. Entre as tendências emergentes no mercado de treinamento corporativo estão justamente o microlearning e o mobile learning, segundo a pesquisa do GM Insights. 

Na Niduu, os treinamentos são realizados no aplicativo a partir de campanhas, em que os colaboradores são avaliados em tempo real com a finalização dos conteúdos disponibilizados pela empresa. A partir daí, os gestores conseguem avaliar o nível de conhecimento dos seus colaboradores sobre temas específicos como vendas, atendimento, produtos da empresa, procedimentos operacionais, cultura, entre outros.

“Geramos um alto engajamento, por meio de uma disputa saudável, que resulta em uma experiência de aprendizagem dinâmica, divertida e totalmente centrada no usuário, impactando no desenvolvimento pessoal e profissional”, explica Rômulo Martins, co-fundador da Niduu. 

Sobre os conteúdos dos treinamentos, a Niduu já disponibiliza 250 Cursos de Prateleira, prontos para uso; um módulo chamado Creator, que permite à empresa usar a ferramenta de criação de conteúdo de forma personalizada e fácil; além da produção de Cursos sob Demanda, em que a startup desenvolve o conteúdo a partir do material do cliente. Para mais informações, acesse: https://bit.ly/2JOIrnr

Com cerca de 150 mil médias e grandes empresas como target no Brasil, a startup vê uma grande oportunidade no mercado nos próximos cinco anos. “Temos no nosso plano estratégico a expectativa de alcançar, até 2025, mais de 3% deste mercado”, destaca Martins. 

Rafael Mota

*Tech/creator do Inteligência Móvel (IM) * Nerd/geek (Pete Mineiro ⛏ da Cavalaria Geek). * [email protected]