Com o Pix, é o fim do cartão de crédito?

As formas de pagamento mudam constantemente com o avanço da tecnologia e as tendências de comportamento do consumidor. 

Nesse contexto, é importante conhecer as suas opções para criar um planejamento financeiro pessoal que leve em consideração as melhores formas de pagamento para você.

E o Pix surge com força em um cenário modificado pela pandemia e criando espaço no mercado de forma muito rápida e transformadora.

Diante disso, ele vai substituir o cartão de crédito online? É seguro fazer pagamentos com Pix? Posso parcelar uma compra nesta modalidade?

Para tirar essas dúvidas e aprender mais sobre este assunto, continue a leitura.

O que é e como funciona o Pix?

O Pix é um modelo de pagamento eletrônico e instantâneo. Ou seja, no momento em que a pessoa faz uma transferência por Pix, o dinheiro entra na conta de destino. 

Assim, o Pix ocorre através da internet, geralmente com aplicativos de celular de bancos ou outras instituições financeiras como as fintechs.

Vantagens dessa modalidade

Primeiramente, o Pix é instantâneo. Isso já é uma grande vantagem quando comparado ao boleto, por exemplo, em que a quantia pode demorar até três dias para entrar na conta.

Outra vantagem é a gratuidade do sistema. Em geral, quando você faz uma transferência para um banco diferente do seu, precisa pagar uma taxa. Isso não ocorre com o Pix que permite transferências ilimitadas de maneira gratuita.

Além disso, o Pix funciona com uma chave, que pode ser um telefone, email, CPF, ou até um código aleatório. Antes, você precisava passar os dados da sua conta quando precisava receber uma transferência, e poucas pessoas sabem esses dados de cabeça.

Agora, basta informar essa chave que a pessoa já conseguirá repassar o dinheiro acordado. É mais fácil lembrar seu CPF ou telefone, por exemplo, do que o número de conta do seu banco, certo?

Principais dúvidas

Apesar dos muitos benefícios do Pix e de ele já estar sendo aceito em diversos estabelecimentos, as pessoas ainda têm muitas dúvidas sobre o seu funcionamento. E vamos ajudar a sanar as principais delas.

Cartões de crédito e débito serão substituídos pelo Pix?

Não podemos negar que o cartão de débito fica bastante ameaçado pelo PIX. Os estabelecimentos preferem receber o dinheiro por uma transferência direta do que através de um intermediário.

Por isso, as empresas devem se modernizar e buscar novas formas de atrair os clientes para utilizarem cartões, como oferecendo melhores programas de milhas, por exemplo.

Porém, ao menos por enquanto, o cartão de crédito ainda não sofre esses impactos tão fortemente, principalmente pela possibilidade de parcelar compras e pagar dias após a compra.

É possível parcelar compras pelo Pix?

Atualmente, algumas instituições financeiras já oferecem soluções de parcelamento via PIX. Porém essa tendência deve se confirmar em 2022 devido ao crescimento desta modalidade de compra.

De qualquer forma, muitas lojas contêm seus próprios cartões de crédito que permitem altas parcelas, chegando a 24 vezes. O PIX não substituirá essa alternativa, mas ele funcionará como um recurso a mais de pagamento, sendo muito útil para pessoas que não têm cartão de crédito online ou não querem pagar anuidade.

E como ficam as maquininhas de cartão de crédito?

Nesse contexto, as maquininhas de cartão de crédito também sofrem um forte impacto no faturamento, apesar de seguirem atuando.

Como comentamos, muitos estabelecimentos preferem receber o pagamento via PIX e induzem os consumidores a fazerem esse tipo de transferência.

Assim, os adquirentes das maquininhas de cartão precisarão reduzir taxas e buscar outras formas atrativas de pagamento para que os estabelecimentos não encerrem contratos e sigam apenas com PIX.

Afinal, o Pix é mesmo seguro?

Por ser uma tecnologia nova, muitas pessoas têm dúvida sobre a segurança do PIX. E isso se agrava ainda mais com os golpes digitais cada vez mais sofisticados que surgem para cometer fraudes.

Segurança digital

Primeiramente, o PIX é digital e evita a utilização de dinheiro físico. Além disso, quando você digita a chave de pagamento, poderá ver alguns dados da pessoa para confirmar se o dinheiro está sendo entregue ao destino certo.

Limite de valor e horário

Além disso, agora o PIX tem um limite de valor no horário entre às 20:00 e às 6:00, considerado mais perigoso. Assim, você conseguirá transferir apenas R$1.000,00 durante este intervalo de tempo.

E o Banco Central também está estudando outras medidas para tornar esta forma de pagamento cada vez mais segura e confiável.

Considerações finais

O PIX é uma realidade e devemos considerá-lo em nosso planejamento financeiro se quisermos nos atualizar frente aos novos meios de pagamento que surgem com o avanço da tecnologia, principalmente pós pandemia.

Além disso, ele está ganhando bastante espaço e pode substituir meios de pagamento mais tradicionais com o tempo.

Outro fator que contribui para isso é a segurança da transação, principalmente com o Banco Central cada vez mais atento aos golpes que aparecem e às tendências de segurança financeira.

Rafael Mota

*Tech/creator do Inteligência Móvel (IM) * Nerd/geek (Pete Mineiro ⛏ da Cavalaria Geek). * [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.