Google I/O 2019 – Resumo

Primeiro dia de Google I/O 2019, o que esperar do evento de desenvolvedores

Para quem não sabe o Google I/O é conferência anual do Google para desenvolvedores, a idéia aqui é mostrar o que o Google está preparando para sua nova versão do Android, bem como outras novidades. Normalmente no primeiro dia eles mostram tudo que os desenvolvedores porão tirar proveito.

Não sei porque, mas para mim não foram lá grandes novidades assim, foram algumas melhorias no Android ou melhor no Android Q, ou Android que não tem nome definido, coisas que ficaram faltando mesmo em 2018, alguma implementações no Google Assistente e apresentação dos smartphones do Google o Pixel e também o que devemos esperar do streaming de games o Stadia, que não foi apresentado hoje;

Android 10 Q

Vamos lá! A conferência começou lógico falando na próxima versão do Android que ainda não tem o nome de um doce. Por hora é o Android Q, ou se preferir Android 10.

Como era de se esperar, a nova versão terá total suporte a telas dobráveis, a próxima geração de dados as redes 5G e alguns recurso de respostas inteligentes, além de uma atenção muito grande em melhorar a segurança.

Começando pela parte visual, agora vamos ter modo noturno do Android Q, o grande barato é que o novo visual é habilitado automaticamente se você utilizar a economia de energia do Android.

Outra novidade são os gestos de navegação, onde você pode deslizar para cima para voltar para o início, como no iOS. Chega de botões para as ações e alguns fabricantes vão implementar em um botão lateral para deslizar.

Os aplicativos na nova versão também ganham melhorias baseadas no iOS, em termos de privacidade. Os apps agora não serão obrigado a fornecer dados de localização a todo instante imitando o iOS que só dá acesso de localização quando o aplicativo está aberto.

Outra novidade é a função Live Caption, uma espécie de legendas ao vivo, isso eu acho o máximo, pois poderá ajudar muito quando chegar um áudio no WhatsApp ou quem sabe você não possa ver ouvir a pessoa durante uma live, que irá aparecer uma caixa de texto transcrevendo tudo que está na tela. Porem não ficou claro se só irá funcionar no Google Duo ou em todos os aplicativos.

Este ano, o Google está ampliando seus recursos denominados “Bem-estar digital” ao integrar o controle dos pais e o aplicativo Family Link, incorporando diretamente no sistema operacional, esse modo bloqueio inibe as notificações e tira você ou seus filhos de acessar aqueles aplicativos que lhe fazem gastar mais tempo no smartphone,  limitando o tempo de tela 

Ainda não existe uma data oficial para o lançamento do Android Q, mas os aparelhos que permitem a instalação do Android Q são:

  • Asus Zenfone 5z
  • Essential PH-1
  • Google Pixel, Pixel XL, Pixel 2, Pixel 2 XL, Pixel 3, Pixel 3 XL, Pixel 3a, Pixel 3a XL (claro)
  • Huawei Mate 20 Pro
  • LG G8
  • Nokia 8.1
  • OnePlus 6T
  • Oppo Reno
  • Realme 3 Pro
  • Sony Xperia XZ3
  • Tecno Spark 3 Pro
  • Vivo X27
  • Vivo NEX S
  • Vivo NEX A
  • Xiaomi Mi Mix 3 5G
  • Xiaomi Mi 9

Inclusive a ASUS preparou um tutorial que pode ajudar os usuários do Zenfone 5Z a acessar http://www.asus.com/Android-Q-Beta/para fazer o download do novo software e saber mais sobre o Android Q Beta e seus recursos. A ASUS dá as boas-vindas aos desenvolvedores para participarem do programa e agradece o feedback dos usuários para aprimorar a experiência juntos.

Google Pixel 3a e 3a XL

Já que falamos de sistema operacional vamos falar dos filhos do Google diretamente, os Pixel phones. Serão dois modelos Pixel 3a e 3a XL, ambos contam com processador Snapdragon 670, 4 GB de RAM, 64 GB de espaço interno não expansível, câmera principal de 12,2 megapixels com abertura f/1,8 e estabilização eletrônica de imagens, e câmera selfie de 8 MP, f/2,0 e campo de visão de 84 graus, conexão via USB-C, e entrada P2 para fone de ouvido. Em tela temos OLED de 5,6 ou 6 polegadas com resolução FHD+, e as baterias têm 3.000mAh ou 3.700mAh.

Os novos Pixel chegam ao mercado americano com os seguintes preços US$400 para a versão Pixel 3a e versão maior US$470 Pixel 3a XL. Ambos contam com as mesmíssimas câmeras dos Pixel 3 inclusive com o Night Sight para fotos noturnas, modo Super Res Zoom, que usa zoom digital inteligente para não detonar a foto, e um modo retrato.

Google Assistente

Lembre-se mais privacidade, o Google prometeu! tão logo Google Assistente será afetado ficará dez vezes mais rápida, oferecendo respostas e obedecendo a comandos com uma prontidão nunca antes vista em qualquer plataforma, hoje ele é muito superior a Siri, Cortana, Alexa.

Mas como eu disse o foco é privacidade, logo essa inteligência ganhar restrições de permissão, nada que não seja liberado, terá acesso a sua localização ou contatos, chega de sair ligando para os amigos aleatoriamente, ou não, vai depender do que você liberar na privacidade.

A Google Assistente também receberá uma dashboard para quando você estiver dirigindo, chamada Modo de Condução, reunindo em uma tela botões grandes para ações como mídia (música e podcasts), mapas, mensagens e ligações, e sincroniza com suas ações fora da direção para serem retomadas ao volante depois. O Mapas também ganha privacidade e agora poderá remover todos os seus dados de navegação automaticamente, entre três e 18 meses.

Google Search e Google Lens

O Google também melhorou os recursos de Realidade Aumentada nos resultados de busca. A meta do Google não é apenas oferecer respostas para uma pergunta, mas respondê-las ele mesmo.

E claro que essa evolução afeta o Google Lens que agora reconhece cardápios de restaurantes, e se conecta à busca para identificar os pratos mais populares, ao apontar a câmera do celular. O Google Lens irá exibir fotos do prato, comentários deixados no Google Maps e calcular a gorjeta. E a melhor parte é que vai funcionar no Android Go, mas somente a parte de tradução de textos em tempo real, com direito a leitura em voz alta na língua que você escolher.

Project Euphonia

Por fim e não menos importante temos o o Project Euphonia, voltado a entender pessoas com dificuldades de vocalização, onde ele transforma expressões faciais e linguagem de sinais em comandos.

Agora para resolver todos os problemas com os processos junto a Oracle que é dona do Java. O Google adota definitiva a Kotlin, linguagem de programação que usa JavaScript, para o desenvolvimento e faz parte do Android Studio